A minha namorada necessária

01A Tatiana rastreou cada passo meu. Há umas duas semanas, chorei no expediente e um colega a avisou. Há um mês, mandei uma mensagem tristonha. Há uns quatro, acordei com seu SMS. Toda vez ela me ligava em seguida: “Lincoln, você é incrível, tem um coração enorme e você não merece sofrer tanto assim”. A conversa no celular se arrastava por hora e quase sempre encerrava no almoço do dia seguinte.

Meu choro era por abandono. E abandono costuma ser consequência do erro do abandonado. Na minha situação, foram os dois anos mais felizes em casal, a outra pessoa queria arriscar a sorte e crescer sozinha. Disse que me amava e seria uma fase. Não avisou: vou te a-ban-do-nar, ignorar ligações, evitar encontros, esquecer sentimentos e querer outros corpos. Mas fez dessa forma constantemente e por meses.

Foi (e é) tão inexplicável o abandono que só fui choro e vazio. A decepção, dúvidas e mágoas consomem os dias, as emoções. Procura-se causas que não existem, ora cria expectativas exageradas de final feliz, ora vive enormes abismos por desconfiar das pessoas. Se é abandonado por alguém lhe fez tão feliz, para que conviver com outros? Nem toque em auto estima. Ou você se afoga na solidão ou mergulha nas antigas lembranças da companhia amada.

Precisei partilhar minha dor com alguém. Ache-a pouca, mude de assunto, aconselhe, mas não seja indiferente. A Tatiana, não era indiferente. Por vezes, aceitou acelerar o carro para me pegar na redação. Descia correndo as escadas para abraçar a única mulher do mundo disposta a me abraçar. E almoçamos juntos. Ou lanchamos juntos. Ou íamos ao cinema. Ou ela só estacionava o carro em frente ao meu apê para ouvir com toda sua paciência a minha ladainha pela enésima vez até fazermos graça.

Se não podia reconquistar a amada durante estes dez longos meses, a Tatiana foi a minha “namorada” necessária. Sim, sem beijos ou transas, mas de me fazer acreditar em paixões. Encontrar com ela fez com que queira ter vontade de levantar a cabeça e não falar tão baixo, em querer me olhar no espelho e ver se, pelo menos, estou “apresentável”, em tirar fotos, em ter vontade de conversar, de fazer piadas, de não temer ser criança, de ser o melhor adulto possível, de não ter tanta dor, de confiar nas pessoas, de não ter medo de amar alguém, de tentar se manter um pouquinho equilibrado.

Tati, serei eternamente grato por dedicar tanto tempo pra me fazer sorrir. Desejo toda a saúde, paz, sucesso e amor do mundo para você conquistar seus sonhos, como uma boa carreira e uma família feliz. Feliz 23º aniversário, menina moça.

*Lincoln, o garoto do coração enorme

 

Banzo de mãos

Beijei as mãos e as lavei com lágrimas. São as mãos mais suaves e gentis que conheci. Sempre me animava com a companhia delas. Meus dedos viviam contornando os seus nos cinemas. Entrelaçávamos doces no sofá, banho, cama. E por mais que evitasse, por liberdade, seguravamo-nos no prazer. E nas suas formaturas. E na minha formatura. E nos nossos aniversários e réveillons. Suas mãos vibram em réveillons e natais, claro que quero me fazer presente com elas. Até com as mãos suadas e febris, gosto de segurá-las por paz e tranquilidade. Você não gosta de dar a mão, mas naturalmente oferecia-a para mim após fecharmos as casas. Ninguém poderia levar nossas mãos, nossa ternura, são nossas. Sei que são. E eu as beijava com toda minha devoção, pois das que convivi, nenhuma é mais carinhosa que a sua. De brincar com meus cachos, pelos e braços por trás do travesseiro. Eram nossas mãos e espontaneamente bastavam. Tanto que por mais nestes meses que elas escolham me empurrar, me bater, fingir que não posso fazer companhia… Enfim, por mais que elas me derrubem cada vez que me reaproximo, não vou revidar. Minhas melhores memórias são com elas. Prefiro me vitimar a torná-las agressoras. Prefiro acreditar que elas são efeitos do que hoje recebem quando trocam palmas, dedos e polegares. Prefiro esperar elas acordarem e pedirem para se banhar em nossos olhos de felicidade. E enquanto elas relutam do previsível, beijos, as minhas banzo.

*Lincoln, aquele que se medica com textos medíocres

Desaparecidos

Você reaparecer e querer fazer parte da minha vida foi o melhor pedido de desculpas. Foi contigo que aprendi espontaneamente a despertar e oferecer sentimentos. Você me despertou o meu melhor por anos e, quando se ausentou, fiquei sem chão, sem confiança, sem ânimo. Fiquei meio louco, torturando o que tenho de errado pra que alguém tão especial me quer tão longe. Você tem um valor enorme pra mim. Você tem e saiba bem disso.

.

Você reaparecer me encheu de esperanças que tudo seria diferente, que você teria mais tempo, disposição e compreensão com a solidão e culpa que carreguei antes. Foi tanto tempo longe que o que mais quero é um tamanho tempo perto de você. Sou efusivo, eloquente e hoje vou sempre lhe pedir a atenção redobrada que não me deu antes. Mas o mundo não lhe oferece tempo e você tem razão quanto a isso.

.

Você reaparecer me fez me iludir que nossa sintonia seria rápida demais. E minhas decepções e desconfianças só vão lhe magoar. E o que você menos precisa e merece é que magoe você. Você disse que me quer bem, perto e feliz. Mas você também não tem a paciência que preciso. E isso só me faz desconfiar se você tem mesmo essa vontade de me ver bem, perto e feliz.

.

Você reaparecer me confunde, porque sinto que nada mudou, que você vai me deixar distante, sem tempo e que vou voltar a sofrer demais como antes. Abandono dói demais.  Está difícil confiar que a gente pode recomeçar, e se recomeçar com mágoas, acho que você vai me largar, mesmo. Então se hoje não pode ser do jeito que necessito, e vamos ficar em revides, então se você quer tentar estar perto, me dê um tempo para querer tentar confiar em nós.

.

Talvez essa seja a melhor solução para gente recomeçar sem brigas.
Sei que você está bem e feliz. E não vai deixar de ser por este período.
Me abrace quando eu voltar.
Te amo, minha melhor amiga.
Com carinho, Lincoln.

 

Entrabraços – Carta para minha mulher

01Santos, 8 de março de 2 014,

Querida, minha mulher,
E que bom que você torceu o nariz, porque você não pertence a ninguém, é livre. E na minha vida, sempre tem a liberdade de concordar, discordar e questionar minhas atitudes. Como também tem a liberdade de deitar em meu colo pedindo afago ou de gritar comigo, e até de bater à porta na minha cara se tiver usando o banheiro. Você tem liberdade de me fazer sorrir e de me fazer chorar inúmeras vezes, de tirar meu sono para ir na sua balada predileta ou de apenas segurar na minha mão e dizer que tudo vai estar certo.

Você é livre se quiser dividir a conta do restaurante, livre se quiser dirigir até o hotel, livre se fingir ter dor de cabeça, livre se reclamar de meus pratos, livre de me admirar resmungando enquanto lavo a louça, passo a roupa ou conserto a descarga do vaso sanitário. Você é livre para usar qualquer roupa (e até ficaria feliz, se não usasse com as janelas fechadas) dentro de casa. Você é livre para pedir massagem, cansar de meus elogios ou só querer deitar de conchinha no sofá. Você é livre para olhar nos meus olhos e pararmos o tempo contemplando um ao outro por uma tarde inteira de sábado, quase sem trocar palavras, ou de querer mexer no celular e ler um livro.

Não, não espero fidelidade na relação. Tem tantos homens e mulheres no mundo para você querer conhecer e quem sou eu para cobrar sua libido? Também não espero mansidão, serenidade ou um mar de rosas em nosso lar, porque você é livre para se estressar, quando for necessário (ou para me despertar de um erro para que eu amadureça, ou porque você precisa errar para amadurecer). Só peço cumplicidade.

Porque quero ser cúmplice de suas tristezas. De estar ao seu lado quando você discutir no trabalho (porque mulher minha, pode sim, ser rainha fora do lar), de estar ao seu lado quando não conseguir falar com seus pais, de estar ao seu lado quando se arrepender das palavras duras ou se sentir solitária demais. De estar ao seu lado quando estiver indecisa, bombar em faltas numa disciplina da sua pós ou de quando entrar a barata no quarto. De estar ao seu lado quando for diagnosticada com uma doença (mulheres fazem mais check-ups que homens) ou quando tentar fazer dietas radicais. Ou de estar ao seu lado apenas num dia frio demais ou até quando falecer sua amiga.

Porque quero ser cúmplice de suas alegrias. De estar ao seu lado nos bailes de suas formaturas, de estar ao seu lado quando receber uma promoção no emprego, de estar ao seu lado quando for natal na casa de sua família, de estar ao seu lado em todos os lugares do mundo e de estar ao seu lado no aniversário de nosso primeiro beijo. De estar ao seu lado quando quiser tocar uma música ou que eu lhe desenhe e recite poemas. De estar ao seu lado em debates, cursos e retiros que sempre nos façam repensar em nossa humanidade. De estar ao seu lado levantando bandeiras por causas sociais. De estar ao seu lado em um dia ensolarado no parque mais verde da cidade. De estar ao seu lado quando você engravidar.

Mas tudo bem se não planejar filhos, véu ou cabelos brancos. Prometo ser o homem mais cúmplice de sua vida, de lhe surpreender todos os dias, de amar você e fazer-se sentir amada a cada vez que me encara nos olhos. Prometo entender que haverá momentos que estaremos mais próximos e outros em que precisaremos nos afastar de vez. Prometo sempre alertar você quando perceber qualquer risco ou atitude errada. Prometo tentar cumprir todas suas exigências, mas pegue leve. Não vá me dar menos valor por deixar você tão livre.

Prometo também sempre lhe tratar como a melhor filha, irmã, profissional ou mãe do mundo. Desculpa, se eu for meio lerdo para entender você. Não sou perfeito, só o amor que posso oferecer a você. Como também sei que, durante todas as nossas experiências, você também descobrirá que sempre me ame (por mais que, às vezes, não queira expressar). Mas tratando você assim, com amor, duvido que você ainda não queira morar em meu coração. E por ser tão livre, escolher ser minha mulher por toda a vida.

Rodatempo – Carta para Lincoln

02

Santos, 5 de março de 2 014,

Caro, Lincoln, você deve estar fazendo 13 anos em breve. E eu, 23. Estes dias, deu uma saudade danada de pensar em minha adolescência. Porque, se não me engano, você, um dos mais altos da classe (acredite, depois você será mais baixinho que o Marquinhos e o Silas), já se pergunta como será na minha idade. Bem, saiba que se você fizer tudo que fiz, provavelmente, terá muito orgulho de mim.

Perdas. Neste ano, você perderá seus três melhores amigos. Vamos pela Pia Simone – por mais você se perca no sotaque dela, acredite, ela admirava muito você e fará muita falta no seu dia. O João Vitor vai ter que ir com a família para Minas, e se você o rever umas três vezes até hoje, será muito. E o seo Raphael não vai poder ir em sua formatura, como ele sempre diz. Então antes de Deus chamar o nosso vizinho (porque Deus sempre chama cedo as pessoas boas), vá a casa dele, abrace-o e diga que o ama. Não que ele precise ouvir isso, mas porque você precisa expressar antes que seja tarde. Acredite, você nunca vai se perdoar quando souber que será tarde.

Escola. Passe a aceitar o carinho dos professores. O professor Roberto vai precisar da sua dedicação ano que vem, confie nas aulas dele. E a professora Julita vai te indicar para ser monitor de Português. Aceite sem pestanejar, porque isso vai te dar um bom lucro como professor particular no futuro – na verdade, você dará mais aulas de Matemática e Desenho Geométrico do que Português.

Você se dará bem nos estudos. No Ensino Médio, que estudará em outro colégio, terá alunos muito mais nerds que você, como o Lucas, o Larocca, o Jesus, o Arthur… E não acredite que passará numa universidade pública. Não passei por seis pontos. Sério, também não me perdoei por isso. Bem, se você quiser, mesmo, prefira revisar os estudos a se doar aos outros como voluntário. Mas também se optar pela causa, conseguirá sucesso do mesmo jeito.

Profissão. Este ano, você protagonizará um programa dominical na TVB. Não tenha muitas expectativas, mas faça o curso de teatro do Nuno Leal Maia – a Rosane e o Bruno, seus professores, vão te acompanhar e te apoiar em todas suas decisões. Você será ator profissional, realizador audiovisual profissional e jornalista profissional. Fará curtas-metragens, teatros de fantoche, infantis, dramas, comérdia. Conseguirá o emprego em A Tribuna (sim, o jornal que você compra na banca para ficar com o troco do papai). É, não ganhará tanto dinheiro, mas muitas boas recordações a cada página. Até vai ganhar um prêmio!

Religião. Você também terá um bom caminho na Igreja da Pompéia. O Victor não vai te dar mais encontros para adolescentes, mas você tem razão, ele e seu jeito simples de cultivar bons afetos guiará você para bons caminhos. A Aguida vai te convidar a ser voluntário de Informática para crianças esse ano. Aceite e dê o máximo pelo Projeto Dom Bosco, será lá onde você aprenderá que os milagres são detalhes da vida. Ano que vem, você conhecerá sua afilhada, a Mayara, cuide bem dela, tá? Na verdade, você passará por muitas pastorais, retiros e congressos, sendo coordenador diocesano da Pastoral da Juventude (mais por situação do que por capacidade). Então, se puder, anime, acompanhe e incentive as lideranças jovens de outros municípios.

Família. Cada um só pode oferecer o amor que tem. Seja mais carinhoso com a mamãe, com o papai e com a Priscilla e o Pablo. E com o seu sobrinho recém-nascido, o Nicholas. Pare de brincar de lutinha com ele. E não se preocupe em dividir os brinquedos com ele, no fundo, você não sentirá falta da sua infância. Muita gente que você não fazia a mínima que eram da sua família vão reaparecer com os anos. Não mudará muito em sua vida, eu sei, mas tente ser mais sociável.

Amigos. Você terá bons amigos, independente do local que escolher estar. Escolhi o Liceu Santista, a Pastoral da Juventude e a UniSantos, e lá encontrei pessoais encantadoras, que sempre vão te animar. Talvez, além da Tati, nenhum deles será como a sua relação com a Simone, o João Victor ou o seo Raphael, mas eles veem algo de bom em você, que muitas vezes, passará despercebido no espelho. Aliás, você continuará detestando fotos e espelhos.

Amor. Das duas paixões que você tem na escola, a maior vai ser ainda maior – porque hoje ela está enorme e bem longe da gostosa que arranca assobios no recreio. A outra partiu para outra cidade, vocês só falará com ela anos depois, mas, numa hora, vão se encontrar. Ela será a garota que fará você entender o que é o amor. E só você fará ela sentir o que é amar. Viverão juntos por dois anos, mas, numa hora, ela vai querer partir. Não sei se é para sempre, mas se você perderá os melhores amigos, porque não perderia o amor da sua vida?

Se tudo der errado entre vocês (como aconteceu comigo), você também conhecerá uma garota muito especial, do outro lado do País. Ela tem tantas qualidades e virtudes, que você nem imagina que haja alguém como ela. E você conseguirá suscitar nela o sentimento mais puro que ela pode oferecer. E por saber que é amado, também se sentirá feliz ao lado dela. Então enquanto estiverem juntos, cuide bem dos sentimentos dela, porque ela merece ser feliz.

Conclusão. Enfim, se você se tornar o que me tornei, você terá muito orgulho pelo seu nome ser sinônimo de responsabilidade e fidelidade. Você saberá como ser um bom líder, pois será uma boa referência para as pessoas e jovens ao seu redor. Claro que você vai falhar, mas é impossível não reconhecer o quão você é altruísta (culpa das dicas do seo Raphael).

Você já terá realizado todos seus sonhos antes dos 23, como já planejava. Ter uma família, estar ao lado de pessoas incríveis, uma mulher incrível, ter uma carreira bem-sucedida e ter ido a Porto Seguro. Mas caso você escute mais o seu coração e faça outras decisões, tenho certeza que também se orgulhará bastante de mim.

Odor de eternidade

Meu melhor amigo morreu aos meus 13 anos.
Pensei que ele me veria crescer, me formar,
Minha esposa, meus filhos crescerem também,
Por isso, adiei ‘eu te amo’ até ser tarde demais.

A eternidade é um odor muito desagradável, porque, cá entre nós, desconheço algo eterno que valorizamos. Morros são eternos e, portanto, constroem túneis, teleféricos e ruas por meio deles. O sol é eterno, e, portanto, resmungamos ao acordar cedo. Os oceanos são eternos e, portanto, não se perde tempo escavando suas profundezas. E sentimentos eternos, também não são valorizados pelas pessoas.

A melhor sensação da vida é saber que você tem o amor de alguém, porque é o sentimento mais puro, sincero e eterno de alguém. É como um perfume, que você sempre sabe que poderá embriagar com a fragrância toda vez que necessitar: festas, casamentos ou enterros. Porém, também é a pior sensação quando você, ciente disso, pensa que pode deixar esse perfume de lado, apenas para raras ocasiões.

Porque ao contrário de sentimentos (por mais que sejam eternos), as pessoas são finitas. Todas as pessoas têm prazo de validade: sua mãe, seu amigo e o Sílvio Santos. Você nunca sabe quando vai ter a oportunidade de ver quem te ama. Então não guarde para depois os bons perfumes que têm em mãos. Não adie a felicidade de estar com quem te ama. Então vá e seja sincero com quem você ame, antes que seja tarde demais.

Vulnerável a você

É, sou vulnerável a você. Cruzaram centenas de pessoas em minha vida, e, certamente outras centenas devem trocar palavras comigo nas décadas a seguir. É bem provável que algumas do litoral, outras do interior do país e quem sabe até em meu mochilão para a Holanda. Mais jovens, mais amadurecidas, mais loiras ou mais negras. Com ou sem deficiência. Acima ou abaixo do peso. Enfim, não importa quantas pessoas passarem por mim, com nenhuma delas consigo ser tão sincero, honesto, fiel, amável (embora às vezes ranzinza) e querer estar tão perto e tão bem quanto com você. Obrigado por fazer parte dos melhores anos da minha vida. E que eu possa fazer parte de muitos melhores anos da sua vida também. Feliz aniversário.